segunda-feira, 21 de maio de 2012

Estou de volta!

Sobrevivi ao período de provas! Tive notas satisfatórias, se é que interessa...
Aconteceu um número considerável de coisas na minha vida do último post pra cá: mudei de casa, tive a felicidade de ver meu irmão escapar ileso de um acidente feio, tive a infelicidade de agora ter que andar à pé/de ônibus por conta desse acidente, ganhei meu quinto sobrinho, perdi 10kg... enfim.
Minha universidade, como várias outras federais do Brasil, está de greve, peço uma salva de palmas de pé para o governo brasileiro e agradeço de coração pelo incentivo que a nossa educação recebe, minhas sinceras homenagens --'
Enquanto tento me acostumar com a ideia de ter que ter aulas no período das férias para não atrasar tanto meu curso, já me acostumei, rapidinho às "férias" que estou tendo agora. Digo férias entre aspas porque tenho ainda vários trabalhos pra fazer, que meus professores não são otários né. Mas uso férias mesmo assim, porque meu cérebro já sentiu que a pressão sobre ele mudou e voltou a funcionar criativamente/criticamente falando, o que significa que devo voltar a produzir alguma coisa, seja pro blog ou não, sei que estou com a mente cheia de ideias e preciso escrever antes que elas fujam de mim, em resumo: ESTOU DE VOLTA!
E para o post não ficar só no blá-blá-blá, vamos falar de alguma coisa?

Tava ontem no twitter falando sobre uma das coisas que andei divagando um(s) dia(s) desses:





Há quem me julgue pelo fato de eu ~ouvir~ brega vez por outra e mesmo assim criticar o que meus vizinhos ouvem, taí minha explicação, o que meus vizinhos ouvem muitas vezes ofende a palavra brega, respeito eles gostarem e tal (gosto não se discute, né) mas que é lixo é. Algumas bandas ainda acertam no que se refere às letras, mas conseguir fazer uma letra brega que não seja um insulto aos ouvidos ainda não é suficiente, tem que saber cantar, tem que saber ser músico (as vezes [só as vezes] bons vocais e bons músicos até dispensam boas letras).
Pra quem não é exposto à esse estilo de música com frequência como eu, entenda a diferença entre uma letra brega e uma letra ruim: Anna Júlia do Los Hermanos tem uma letra breguíssima, Cachorrinho, da Kelly Key tem uma letra podre de ruim. Entenderam? rs

Bom, é o que tem pra hoje, até mais, tava com saudade disso aqui.

5 comentários:

Lucas Adonai disse...

Muito bom!

Guru do Metal disse...

los hermanos comparados com kelly key até que são bons, mas também deixa a desejar

Jeh Pagliai disse...

Olá :)

Bem vinda de volta!

Sobre as músicas, sou absolutamente eclética... Sinceramente? Vira e mexe ouço, seguido de Slipknot, Exaltasamba... Hahaha

Beijinhos

Raquel S. Ramos disse...

Bem assim mesmo

reinaldo del trejo disse...

É. Temos que escrever antes que as ideias fujam da nossa cabeça.
As vezes eu to sozinho, meio que poiando, e começo a analisar as coisas, o mundo, tudo...
E penso "Isso daria um bom post". Ai esqueço de escrever, as ideias fogem e o blog fica desatualizados de textos "intelectuais' e sobram desapegos emocionais kskssk.
É foda quando as aulas entram em greve. MAs é algo necessário, temos que lutar pelos nossos objetivos para conseguir algo, sem ser conformistas! Diga não a conformidade Porra!
Amo História! Eu ia fazer, passei na Unesp de Assis e tals, mas acabei não fazendo...
Muitas coisas acarretaram isso, muitos dizem que foi "omissão" ou "medo", mas foi algo maior que isso e não quero falar aqui.
Enfim, sobre as músicas, eu ouço todo tipo de música.
Mas tem que ter letra poxa. Quem ouve sertanejo com musicas "AGORA EU TO DOCE" tCHua, Tae" e afins, pra mim tem é merda na cabeça.
Acho que no fim, o que importa é a qualidade propriamente dita.
Enfim, nem sei se tem nexo o que digitei.
Mas curti o blog :D