terça-feira, 27 de maio de 2014

Comunicado Oficial

Oi gente, hoje eu vim aqui dar uma notícia com cara de triste pra vocês. Mas de triste só tem a cara mesmo, não é nada que eu esteja realmente lamentando fazer, e não é nada que eu acredite que muita gente vá lamentar ao saber que eu fiz.
Bom, a notícia é que estou encerrando por aqui minhas atividades com o blog, e eu tenho um bom motivo pra isso. É que já se foi o tempo em que eu sempre tinha um texto pronto, ou um rascunho, ou anotação, ou uma boa ideia do que eu queria postar no blog. Atualmente eu tenho criado estratégias como as tags diárias pro exemplo, pra manter o blog ativo, mas isso só faz com que eu acabe inventando qualquer coisa na hora pra postar e pra mim isso não é legal. Basicamente minha relação com o blog não tem mais dado certo, por isso acho melhor parar por aqui.
Então o blog vai ser excluído? Não, eu não faria isso com um trabalho de cinco anos, tudo vai continuar exatamente onde está. Quanto a mim, também não vou parar definitivamente de publicar coisas na internet, a fanpage do blog vai continuar ativa, com quotes, rabiscos, imagens...e alguns textos eventuais. Não pretendo mais fazer vídeos, mas ainda não sei o que vou fazer do canal no YouTube.
Então, basicamente, se quiser continuar acompanhando minhas postagens daqui pra frente é só curtir a página facebook.com/inexplicavelblog, e como eu sei que o face não exibe todas as postagens à todos que curtem, estejam à vontade pra seguir meu perfil pessoal também (www.facebook.com/raquelsramos), ou seguir meu twitter (twitter.com/raquelsramos). Claro que não precisa fazer nada disso se não quiser rs.
Então é isso, bjs e tchau.

domingo, 4 de maio de 2014

Somos todos o quê?

Eu sou branca, e isso significa que eu nunca sofri com racismo, o que me põe numa posição de observadora dele. O fato é que acaba-se de criar uma "moda" com relação ao racismo, não que seja ruim as pessoas debaterem o assunto, mas é que é muito ridículo ver como as pessoas agora decidiram fingir se preocupar com a questão do racismo, por mera manipulação midiática.
Vamos aos fatos: acho que todo mundo viu Daniel Alves comendo a banana que os torcedores racistas lhe jogaram, e como uma agência publicitária oportunista tomou isso como um ato contra o racismo e pagou pro Neymar, como quem não quer nada, subir uma foto comendo banana com seu filhinho loirinho, dizendo #SomosTodosMacacos. 
Agora vamos aos erros: quem criou a campanha aparentemente imaginou que Daniel Alves ao comer a banana admitiu ser um macaco e que isso foi um mega ato anti-racista. A questão é que Daniel Alves não disse que era um macaco, ele simplesmente comeu a banana como quem não está nem aí com o racismo dos torcedores, porque (1) quem sofre preconceito as vezes prefere ignorar mesmo, e (2) esse preconceito de hoje em dia, enquanto ele tem um emprego financeiramente invejável não deve ser nada comparado ao que ele deve ter sofrido quando era só um preto, pobre da roça. Ainda é um grande erro que se julgue que alguém que supostamente está se chamando de macaco é alguém lutando contra o racismo, já que esta comparação é uma das infinitas coisas que quem luta contra o racismo tenta combater. Então olha que lógica idiota do ser publicitário que bolou a campanha: Daniel Alves tá dizendo que é macaco, então se lutar contra o racismo é dizer que somos todos iguais, somos todos macacos iguais ao Daniel Alves. E assim nasceu a campanha anti-racismo mais idiota de todos os tempos.

domingo, 27 de abril de 2014

Registrando - Parte 3: Rabiscos

Pra fechar um mês de registros aqui no blog, decidi fazer algo que não costumo, mostrar pra todo mundo os rabiscos espalhados pelo meu caderno da faculdade. Peguei só o caderno que estou usando atualmente, afinal de contas, estou registrando meu momento atual, mas desenhos perdidos e soltos são comuns em todos os meus cadernos, agendas, blocos de notas...
Separei somente desenhos que "faziam algum sentido", fotografei e estou postando aqui fielmente, sem melhorar nada no photoshop, se é registro, que seja feito com fidelidade, cheio de defeitos, afinal até meus rabiscos são inexplicáveis. 
Seguem as imagens:
(para visualizar melhor clique nas fotos)

E a postagem de hoje é essa gente, espero nos comentários saber o que acharam das minhas linhas, tortas. Próxima postagem é provavelmente o videocast de abril, então comentem pra ver seus comentários respondidos no vídeo. Beijos e até a próxima.

domingo, 13 de abril de 2014

Registrando - parte 2


Quando tinha entre 16 e 17 anos (mais ou menos a época em que eu criei o blog) meu sonho era trabalhar com mídias e com texto, o que me levou a escolher a Publicidade. Ao conversar com pessoas mais velhas sobre o que eu queria com relação ao curso, eu falava sobre o Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social, que era pra onde eu gostaria de me encaminhar depois que terminasse Publicidade. O desejo era tanto que eu tinha mais certeza sobre o que eu queria depois do que o que eu queria antes, pra que fique claro, eu tinha dúvidas se a Publicidade era o caminho certo.
O fato é que eu não passei nesse vestibular, e acabei caindo no curso de História, para o qual eu não tinha planos, e fui tentando construir esses planos ao longo desses pouco mais de 4 anos e desisti da maioria deles, exceto aquele que me acompanhou no maior tempo do curso, o de fazer outra graduação. Durante muito tempo fiquei perdida em que graduação seria, mas ai pensei direito, tem algumas coisas que eu não quero perder, o tempo que passei na História e todo conhecimento e material de pesquisa que juntei ao longo do curso, e meu sonho (aquele antigo sonho). Juntando tudo isso parece sensato que minha próxima graduação seja Jornalismo, com o objetivo de seguir minha pesquisa (que envolve imprensa ilustrada) e me preparar do início ao fim do curso para o mestrado em Comunicação.
Claro que pra tudo isso eu preciso trabalhar muito. E claro que isso envolve ter um emprego. Um dos meus planos que venho mantendo durante a graduação é que quero passar num concurso público depois de formada, mas eu sei que enquanto isso não acontecer eu vou ter que me virar com o que der pra me manter na minha próxima faculdade. E se isso significa que eu vou ter que dar aulas, ótimo, faço licenciatura, quero ser professora, só não quero a vida toda.
Bom, estou apenas deixando registrado pra ver se um dia eu vejo dar certo, enquanto isso vou encarando meu último período de História, que tá punk, tá level hard.
Até a próxima.

domingo, 6 de abril de 2014

Registrando - parte 1

As vezes deixo algumas coisas da minha vida registradas aqui no blog só pra no futuro ver como um dia eu já pensei. Já escrevi muito sobre o que eu estava passando e sobre o que eu estava pensando, para o momento e para o futuro. Ao reler esses textos me vem a memória todos os meus planos meio perdidos de futuro, e pensando no agora, vejo que alguns desses planos não tem mais muito valor e vejo que hoje mais do que nunca tenho voltado a pensar como há bastante tempo atrás.
Agora que estou me formando, minhas esperanças quanto a formação que estou adquirindo tem caído catastroficamente, e me pego pensando em coisas muito parecidas com o que escrevi nessa postagem em 2012, não que eu ainda tenha essa opinião sobre a pesquisa, até porque tenho juntando material e lido por conta própria, para projetos futuros. E por falar em futuro, o que será dele?
O curso de história não tem se mostrado o melhor curso pra quem quer sair da universidade com um futuro profissional encaminhado e a melhor alternativa que eu vejo pra quem está terminando e investir em um mestrado e seguir nessa área mais acadêmica. Mas eu não estou investindo nisso. Nunca sonhei em ser historiadora e por isso, muitas vezes passou pela minha cabeça desistir, mas eu amo estudar história, não pelo futuro, mas pelo agora. E o que eu quero da vida? Quando eu escrevi esse outro texto em 2011, a minha vontade era largar o curso, fazer vestibular de novo e recomeçar a vida seguindo os meus sonhos. A verdade é que não demorou pra eu começar achar essa ideia idiota e perceber que eu não precisava recomeçar e sim continuar a vida, é também o que eu preciso agora, isso não me impede de ter sonhos e segui-los.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

quinta-feira, 27 de março de 2014

5 clipes com mais álcool e violência do que "Our Time"



O videoclipe acima é do terceiro single do terceiro álbum de Lily Allem, "Sheezus", que tem previsão de lançamento para Maio desse ano. Não, não é nenhum clipe épico e tal, mas eu precisava falar dele porque a MTV decidiu bani-lo de sua programação. A justificativa? Lily Allen aparece bêbada e se envolve numa briga e se recusou a censurar estas partes para que o clipe fosse exibido pela emissora. Eu me espantei bastante com a notícia porque achei que não era pra tanto, visto que tantos clipes apresentam muito mais cenas de consumo de álcool, além de conterem violência que vai além de uma briguinha entre uma mulher e um cachorro quente.
Por isso selecionei 5 clipes com mais álcool e violência do que "Our Time", segue a lista:

segunda-feira, 24 de março de 2014

Sem Medida

Estou há quase um mês planejando e tentando frustradamente fazer o videocast de fevereiro, porque eu quero muito responder os comentários das postagens de fevereiro. Acabo de reparar que estou na última semana de março e não consegui gravar o vídeo de fevereiro e por conta das tentativas frustradas de fazer o vídeo, acabei não postando nada esse mês. Vamos fazer assim então, vou postando nessa última semana e depois faço um vídeo só pra fevereiro e março, dedinhos cruzados pra dessa vez dar certo.

Mas vamos ao assunto de hoje. Segunda é dia de falar de música aqui no blog, e eu escolhi pra hoje a faixa dois do segundo disco de Pélico, "Que Isso Fique Entre Nós" (2011), e a música é "Sem Medida". A música segue o mote romântico que marca todo o disco, que conta ainda com outras músicas lindas como "Não Éramos tão Assim" e "Que Isso Fique Entre Nós", regravada em 2013 no disco "O Mais Feliz da Vida" d'A Banda Mais Bonita da Cidade. "Sem Medida" tem uma letra profunda e sentimental com versos fortes como "Onde mora o prazer, a compaixão é o pecado". Tem o tipo de letra que poderia ser recitada e poderia constar facilmente num livro de poemas, mas que fica ainda melhor acompanhada de sua música suave ainda que marcada pelas batidas da percussão, além da voz apaixonante de Pélico.
Eis a música:

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Tag: Meu Autor Favorito

Hoje é quarta, dia de Tag Literária aqui no blog. Pra hoje eu fiz um vídeo falando sobre minha autora favorita, e meus livros favoritos, e os filmes baseados nos livros. Com vocês a "Tag: Meu Autor Favorito", estrelando Anne Rice:

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Três Musicais!

Quem ai gosta de filmes musicais? Eu amo, não é o gênero que eu mais assisto, mas é ótimo pras horas que você quer algo leve, divertido, com um toque dramático, e que soe bem aos ouvidos. Hoje, na tag Três Filmes, teremos três musicais.
1. Vamos começar por um clássico de 1965 estrelado por Julie Andrews. Cresci com minha mãe cantando pra mim a música do Dó Ré Mi Fá de 'A Noviça Rebelde', e quando finalmente vi o filme foi amor à primeira vista. Além das músicas sensacionais, a história do filme é linda e bem trabalhada: amor fraterno e amor romântico na dose certa. Como não amar a 'noviça' e as crianças? Como não sentir uma raivinha e ainda assim amar o capitão von Trapp? Como não odiar a noiva que ele arranja? Como não se apaixonar por este filme?


2. Avançando bastante no tempo chegamos a 2001 e encontramos Ewan McGregor e Nicole Kidman estrelando Moulin Rouge! Só assisti a este filme por causa da música Lady Marmalade, e adivinhem? Me encantei com o filme. Além das músicas, da história, do toque de humor, o apelo visual do filme é enorme. O contraste entre glamour e rusticidade dão todo o charme visual do filme, é lindo de ver. Sem falar na história de amor e da frase clichê  de rede social: "A coisa mais importante que se pode aprender é amar e em troca amado ser"


3. O terceiro musical adorável da lista é de 2008 e tem nada mais, nada menos que Meryl Streep no papel principal. Claro que estou falando de Mamma Mia! Por que assistir esse filme? A trilha sonora é ABBA, só isso basta, mas, querendo mais, tem a presença sensacional de Meryl Streep e como três possíveis pais de sua filha Pierce Brosnan, Colin Firth e Stellan Skarsgård. Dos três listados este é com toda certeza o mais divertido e fala de amizade e amor de mãe, não tinha como não ser a maravilha que é.



E é com muito pesar que eu termino essa lista aqui, espero que tenham gostado da seleção e que se ainda não assistiram algum filme desses, que tenha dado vontade. Tchauzinho e até a próxima postagem!


E o blog que vos fala fez 5 anos! Chega aqui pra ler meus agradecimentos!

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Por que não gosto de carnaval

Calma, prometo não ser chata, moralista nem conservadora, não sou dessas e nem pretendo ser. Amo o carnaval bem longe de mim, mas amo mesmo, respeito cada aspecto cultural da festa, admiro a alegria que provoca nas pessoas, a criatividade e a beleza das fantasias... mas quero tudo isso longe de mim.
Fui criada numa cidade em que o carnaval não tem tradição. Tem festa todo ano? Tem, mas uma festa que nem se compara com Recife, Olinda e outras cidades em Pernambuco que tem carnaval como tradição. Aqui as pessoas não se preparam o ano inteiro para o carnaval, aqui é só comprar a camisa e ir atrás do bloco e pronto, é um festejo com começo, meio e fim. Este é um dos motivos pra eu estranhar tanto meus amigos de Recife e Olinda falarem de carnaval em qualquer época do ano, já que fui acostumada a esquecer dele durante 11 meses. Uma festa ruim e sem tradição nunca me atrairiam, primeiro motivo pra não ter apego pelo carnaval.
Mas vamos partir pra uma questão mais pessoal, algo psicológico: Quando eu era criança tinha nojo de foliões. Entendam, não é moralismo, eu era CRIANÇA, o nojo era físico mesmo. Sempre que eu via de longe pessoas brincando carnaval, a minha sensação é de que estavam todos sujos, era repulsivo, eu nunca quereria aquelas pessoas perto de mim. Hoje eu tenho consciência de que não é bem assim, mas como controlar o inconsciente que ainda acha que foliões são repulsivos? (talvez eu precise de psicanálise). Outro ponto psicológico é: Tenho medo de aglomerados de pessoas. Quando vou pra um lugar cheio de gente, geralmente procuro o lugar mais vago possível, porque sei que começo a sufocar quando tem gente demais ao meu redor (sim, eu já andei de ônibus lotado u.u), é o fator psicológico da asma que alguns médicos (que provavelmente não tem a doença) dizem que não exite. Agora imagina o desespero que é estar cercada por uma multidão que me gera repulsão só de olhar? Só estive nessa situação uma vez, e a festa estava muito boa até que um frevo fez as pessoas se agitarem e eu ficar espremida entre elas, em desespero, querendo mais que tudo na vida sair dali. Depois desse dia nunca mais pisei na rua em dias de carnaval, e sempre que me imagino num bloco ou algo assim, me dá uma agonia e eu me imagino desmaiando. (talvez eu precise de psicanálise mesmo).
Mais recentemente tenho ficado triste no carnaval, porque lembro do meu pai, e suas festas de carnaval em casa, barulhentas, cheias de vizinhos, com muita bebida e muito desperdício de água pra molhar todo mundo e farinha de trigo pra sujar, e água e farinha e água... eu odiava tudo isso, mas é difícil se acostumar quando não tem mais.
Talvez vocês não entendam, achem que é frescura, mas não é. Claro que não considero um problema central na minha vida, o ano tem 11 meses sem carnaval, só preciso odiá-lo uma vez por ano, em outras épocas eu tenho outros problemas, só que acrescidos de coisas boas.

Esse mês o blog que vos fala fez 5 anos, clique aqui para ler meus agradecimentos.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

5 anos!

Ter um blog não é fácil, principalmente quando não se vive disso. Ter o blog como mais que um hobbie mesmo quando o tal blog não é famoso exige um carinho especial pra que aquilo ande, principalmente por aqueles poucos (mas suficientes) leitores que são os incentivos maiores para que eu continue.
Hoje fazem 5 anos que comecei a usar oficialmente este espaço pra fazer o que vocês tem me visto fazer: Textos cheios de mim, e um pouco mais. Aqui ficou registrada a evolução da minha forma de escrever, minha considerável melhora enquanto "designer" (já que sempre fui eu quem cuidou da aparência do blog) e meu pouco jeito com a câmera e os editores de vídeo rs.
Minha paixão por escrever me fez criar o blog, e com vocês leitores, este blog acontece há 5 anos. Eu só tenho a agradecer por todos vocês que reconhecem meu trabalho, aos elogios e críticas. Vocês são parte do que me fez amadurecer desde que criei o blog. Hoje estou feliz de ter chegado até aqui.
Obrigada de coração, sinta-se cada um servido com o primeiro pedaço do bolo.

Beijos no coração e até a próxima postagem!

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Videocast de Janeiro

Desde a madrugada do dia 1º pro dia 2 que eu venho pelejando pra conseguir por esse vídeo no ar. Uma madrugada de gravação, dois dias de edição, um dia e meio de upload, e só agora, na madrugada de 4 pra 5 de fevereiro eu conseguir por no blog o videocast de janeiro.
Depois de por no ar percebi que os cortes ficaram muito feios, o que me leva a ter a certeza de que preciso roteirizar meus vídeos pra não errar tanto e não precisar cortar tanto, já que continuo sem um bom programa de edição. Resolvi pelo menos o problema do áudio abafado e sem sincronia que teve no último vídeo, mas a imagem da gravação dessa nova câmera que eu tenho usado não é tão boa, talvez seja o caso de providenciar mais iluminação no ambiente pra ver se melhora algo, mas isso é pra ser pensado pro próximo vídeo.
Sem mais blá-blá-blá, #InexplicávelVideocast:


segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Toda Surdez Será Castigada

Em 2013 lançou seu álbum de estréia Ylana Queiroga, cantora recifense de uma família de músicos consagrados de Pernambuco, filha de Nena Queiroga, sobrinha de Lula Queiroga. O disco "Ylana", que levou seis anos pra ficar pronto, é uma parceria com seu irmão multi-instrumentista Yuri Queiroga e faz releitura de músicas de diversos compositores pernambucanos: Felipe S. (Mombojó), Alceu Valença, Capiba, Isaar, Siba, China, Ortinho... e os compositores da Faixa Dois de hoje são Junio Barreto e os integrantes da Nação Zumbi, Jorge du Peixe, Pupillo, Lúcio Maia e Dengue.
Sim, a Faixa Dois de Hoje é a releitura de Ylana Queiroga para uma música linda da Nação Zumbi, "Toda Surdez Será Castigada", lançada em 2007 no disco "Fome de Tudo" que tem a força de toda música da Nação. Como música é melhor ouvir do que ouvir falar:


Como é de se esperar, a versão de Ylana traz a suavidade da voz feminina, o que porém, não faz perder em nenhum momento a intensidade da letra da música. Quanto à sonoridade, enquanto a versão de nação é bem marcada pela guitarra sensacional de Lucio Maia e a bateria de Pupillo; a de Ylana é um tanto mais eletrônica, mas sem tirar nada da "personalidade" original da música. Mais uma vez, melhor ouvir pra saber né?
 

Se gostou dá pra ouvir o disco inteiro e baixar as faixas por aqui, todo fã de música pernambucana (ou não) precisa ouvir esse disco, se não fosse ficar impossível de tão grande faria um faixa-a-faixa dele. Mas enfim, espero que tenham gostado da Faixa Dois de hoje, até a próxima.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

TAG: Encontre o livro

Esta TAG foi criada para vlogs e eu já a vi muitas vezes sendo respondida, mas nunca em blog, pelo menos não como vou fazer, sempre que a encontrei em blogs foi por vídeo, porém, por diversos motivos preferi não gravar a tag, mas fazê-la mesmo assim.
A TAG Encontre o Livro foi criada por uma Vlogger americana, a Sarah, do TheLibraryOfSarah e traduzido pela Mari do Psychobooks, e agora adaptado por mim para a versão blog (se você conhece alguém que já tenha feito como eu me corrija por favor), e consiste em procurar na minha estante livros com características específicas.
Errata: Ok, depois de uma pesquisa mais detalhada encontrei vários blogs que fizeram a tag assim como eu, então desconsiderem quando eu falo que EU adaptei!
 São as seguintes 19 exigências: