segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Falando de música (falando de mim)

Assim que criei o blog postei algo sobre meus gostos musicais, sobre o que eu curtia, de onde vinham as referências e sobre o momento que eu estava passando na época, que se bem me lembro era o período em que as bandas emo estavam começando a apagar e eu estava começando a curtir tais bandas, mas enfim, essa noite eu estava pensando das mudanças ocorridas no meu gosto musical desde a infância e decidi escrever minhas divagações aqui num texto mais detalhado e ao mesmo tempo mais refinado que aquele que eu fiz há tanto tempo atrás.
Lembro que quando eu era pequena eu curtia muito os vinis dos meus pais, dai meu gosto por MPB e um amor por Chico Buarque que nem todos entendem (é necessário ter dormido quando criança ao som de Acalanto pra entender), dai também meu gosto por samba (ninguém nem imagina que eu curto samba, mas...). Mas nessa época o que eu gostava mesmo era de qualquer coisa que fizesse sucesso, bastasse tocar no rádio e aparecer na TV, ou seja, muita merda que me deixa nostalgica hoje em dia haha. Meus irmãos mais velhos eram adolescentes e ouviam muito rock entre outras coisas mas eu não gostava de 99% do que eles ouviam, mas foi com eles, e nessa mesma época que eu conheci e gostei de Titães, Paralamas, Engenheiros, Los Hermanos, Raimundos Chico Science, Planet Hemp, Gabriel o Pensador e Charlie Brown Jr. que nessa época fazia o estilo banda de garagem e dava de 100000000000 X 0 no que é hoje. Foi à partir das influências dos meus irmãos que eu comecei a parar de ouvir rádio e restringir cada vez mais a influência da TV.

Quando eu tinha 9 anos eu mudei de casa e nessa nova casa pegava MTV, que eu até já conhecia mas não fazia muita ideia do mundo de maravilhas que poderia surgir dali. Na época a MTV era meio que um canal focado no rock, muito pouco do que tocava não era rock, mas mesmo assim não era nada que machucasse os ouvidos. De qualquer forma, sempre que algo que não me agradava tocava na MTV eu mudava de canal e pronto. Com o tempo fui conhecendo atráves de meus irmãos o que posso chamar de música alternativa e gostei tanto daquilo e vi tanta diferença entre aquelas músicas e as outras que eu vinha ouvindo por causa da MTV que simplesmente bani algumas coisas da minha playlist e me restringi às coisas que conheci quando criança (incluindo os rocks pesados que antes me irritavam e excluindo a influência da mídia) aos novos sons de rock e de música alternativa que meus irmãos ouviam na época. O resultado foi que virei meio que uma roqueirinha metida e cheia de preconceitos musicais.
Mas ai veio o auge da adolescencia e com ele finalmente a abertura a sons novos e até a antigos que antes eu não me permitia gostar. As bandas emo que falei no início do post, eu conhecia desde antes de conhecer a palavra emo, mas demorei muito pra me permitir gostar daquilo, mas esse momento me fez largar os preconceitos e finalmente curtir coisas como pop internacional que antes simplesmente me dava nos nervos. Nesse período eu conheci os sons que os países latinos faziam, e sim, foi graças às minhas amigas que me fizeram assistir Rebelde e curtir algo do som deles, o RBD me fez ouvir muita coisa latina de qualidade e não tão dificilmente melhor que o próprio RBD. E nessa fase fiquei, é claro, viciada em MTV. Hoje posso dizer que a adolescencia está indo embora e com esse fim está acontecendo um refinamento na minha veia eclética, mas ainda espaço pra muitas coisas novas e se eu não tivesse passado por esse período, não exitiria espaço pra mais nada.
Meu celular... durante a criação do post
Hoje, escuto MPB, gosto que me acompanha desde pequena, escuto rock nacional, principalmente gaúcho e rock internacional também, desde sons mais relax pros mais pesados, até heavy metal e nu metal. Escuto uma infinidade de sons alternativos, muita coisa daqui mesmo, Pernambuco. E, por último mas não menos importânte, ouço pop internacional sempre que dá vontade. As bandas latinas? Não procuro as novidades, mas as vezes escuto as coisas antigas mesmo. As emos? Ainda escuto algo das antigas, bem de vez em quando, e ouvi o último disco do 30 Seconds to Mars, só isso. Além disso tudo, desde a adolescencia que sou fã dos 'flashbacks' e dos 'classic', provavelmente o melhor que eu aproveitei da adolescencia rs.
Descobri depois de muito tempo que minha banda favorita é definitivamente Engenheiros do Hawaii, e espero anciosa pela volta. Descobri também um amor pela banda americana The Killers, que conseguiu o segundo lugar no meu coração e espero anciosa pelo cd que tá vindo por ai. Descobri também que mesmo não ouvindo certas músicas eu posso me divertir ao som delas nas festas e essa é a melhor parte de não ter preconceitos musicais.
É, foram altos e baixos, mas finalmente me sinto uma ouvinte de música com ouvidos amadurecidos.

11 comentários:

Thaís I. disse...

Adorei o post e a proposta do teu blog.. e concordo plenamente contigo... A medida que a gnt vai amadurecendo, a gnt aprende a "filtrar" nosso gosto musical... muitas vezes, mudam-se as fases da nossa vida e com elas mudam tb as nossas musicas favoritas... Afinal, vida tem que ter trilha sonora ;)
"A música expressa o que não pode ser dito em palavras mas não pode permanecer em silêncio."

hrdoblush disse...

muito bom seu blog, e o texto
adooreii

http://www.hrdoblush.com/

Just Livros disse...

acho que temos uma trilha sonora pra cada fase da nossa vida.

Cabeça Feminina disse...

realmente, cada época da nossa vida, demanda uma trilha sonora diferente de acordo com o que sentíamos naquele momento.


grande beijo e ótima semana


http://cabecafeminina.com.br

a página no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Cabe%C3%A7a-Feminina/162665117088740

Flávia Campos disse...

É isso mesmo, num basta ouvir música, tem que ter qualidade musical tmb.
Bjs

Fernanda disse...

Certamente, linda, nosso gosto muda sim. Pra tudo. Vamos pouco a pouco nos encaminhando para o essencial, nos desviando da sobra e grudando no que realmente nos define e vale nosso tempo. Normalmente guardamos as bobagens da infância e adolescência na categoria afetiva, e pouca coisa nas preferências de fato e direito. :-) Beijíssimos e sucesso!

Rafael Sorigoti disse...

Primeiro parabéns pelo blog está muito massa.

Bom sobre o amadurecimento do gosto musical, eu acho que não é só o gosto musical que cresce ... é você suas idéias seus pensamentos, seu censo de certo e errado, automaticamente aquilo que lhe fazia sentido antes não fará mais hoje, a vida nos ensina muito em muitas etapas diferentes, e nada como filtrar a trilha sonora para deixar nossa passagem aqui bem mais legal..

Beijo

Se puder acesse
http://meuexamedeconsciencia.blogspot.com/

Comente, Siga ... e o mais importante debatas as idéias ...

Joyce Barreto Chicon disse...

Olá,
adorei o seu blog e o post.
Super harmonioso.

Já nos favoritos!

beijos



http://joycebc.blogspot.com/

Divulgação brasil disse...

Música, estilo de vida!

Claudiomar Aparecido disse...

Obrigado pela visita, adorei o seu blog.

Anônimo disse...

Direto ao ponto e bem escrito! Porque não pode todo mundo ser assim?